quinta-feira, 30 de abril de 2009

Cerca velha

O ex-procurador geral do Estado Marcos Reátegui, irmão do deputado estadual Moisés Souza, tá igual cerca velha.
Quando cai derruba os outros.

Ele vem

Confirmado.
O delegado Protógenes Queiroz vem ao Amapá em junho fazer uma palestra sobre a corrupção no Brasil.
Quando souber do festival de pilantragem, das falcatruas e maracutais que rolam por aqui, é capaz de Protógenes ficar mais arrepiado que gato de desenho animado.

Ô patetice

Em nenhuma repartição do governo do Amapá é permitido acessar determinados blogs.
O Processamento de Dados do Governo do Amapá (Prodap) bloqueou o acesso a este blog e a outros, inclusive ao blog do Noblat.
De acordo com uma fonte do Prodap, o acesso só é permitido a sítios alinhados com o governo estadual, ou seja, os chapas-branca.
Blog, sítio, ou seja lá o que for que não babe ovo do governo não pode e não deve ser acessado para não exercer uma "influência ruim" nos funcionários.
Pode?

Bala assume a presidência do Grupo Parlamentar Brasil-União Européia

O deputado federal Sebastião Bala Rocha (PDT-AP) tomou posse ontem no cargo de presidente do Grupo Parlamentar Brasil-União Européia. Embaixadores de vários países, deputados e senadores, entre outras autoridades, prestigiaram a posse de Bala, que ocorreu na sede da Confederação Nacional da Indústria.
Em seu discurso, Bala falou da importância do Grupo Parlamentar, dando ênfase à necessidade de abertura do mercado europeu para o Brasil, através do Amapá, como também da imperiosidade de se criar legislação comum para flexibilizar e regularizar o processo de imigração. "Sou do Amapá, e quis Deus que o nosso Amapá constituísse a fronteira entre o Mercosul e a União Européia. De um lado, Oiapoque, Amapá, Brasil, Mercosul; do outro lado, a Guiana Francesa, Departamento de Ultramar da França, União Européia. No meio, unindo Mercosul e União Européia, o esplendoroso rio Oiapoque. Essa foi a principal fonte de inspiração para que pudéssemos estar aqui hoje para apresentar o Grupo Parlamentar Brasil-União Européia que tenho a honra de presidir", enfatizou o parlamentar.

(Com informações do gabinete do deputado Bala)

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Dá uma olhadinha pro céu

Com as cordas do teu violão fiz um varal de poesias e pendurei nas estrelas.

Perdoadas dívidas de até R$ 10 mil com a Receita

Da Agência Estado:

O Senado aprovou nesta quarta-feira a medida provisória 449, que perdoa e refinancia dívidas de contribuintes com a União.

A MP perdoa dívidas de até 10 mil reais com a Receita Federal vencidas até 31 de dezembro de 2002.

O texto também concede um novo parcelamento de débitos, inclusive para quem participou ou perdeu parcelamentos anteriores e permite que todos os débitos de contribuintes vencidos até 30 de novembro de 2008 sejam parcelados em até 180 meses com descontos nos juros e multas.

Na sessão de votação, o PSDB questionou as condições favoráveis do perdão de multas e de juros.

O governo argumenta que, além de beneficiar as pessoas físicas em um momento delicado da economia, a medida fortalecerá as empresas para combater os efeitos da crise financeira global.

Gripe suína

Levantamento feito pelo Ministério da Saúde dá conta que 20 pessoas estão internadas com sintomas da gripe suína, em oito estados brasileiros.
O Paraná é o estado que apresenta o maior: 4. Os demais são Rio de Janeiro (2), Minas Gerais (3), Bahia (2), Rio Grande do Norte (2), Amazonas (3), Santa Catarina (3) e Pará (1).
A gripe suína já atinge 11 países.

Retrato em preto-e-branco (3)

Olha eu aí, em 1990, numa mina de ouro em Tartarugalzinho fazendo uma matéria sobre meio ambiente

terça-feira, 28 de abril de 2009

Enquete nova

Se você pudesse fretar um avião, você o faria com imenso prazer só para despachar os parlamentares voadores para a Baixa da égua, ou pro México, ou pra PQP ou pra cadeia?
Resposta aí do lado esquerdo.

Câmara paga passagens para ex-deputados

Mesmo após o fim de seus mandatos, pelo menos 117 ex-deputados tiveram passagens aéreas pagas pela Câmara no período de fevereiro a dezembro de 2007. Desses, 28 usaram a cota mais de 20 vezes, para emitir um total de 896 bilhetes com destinos nacionais. A lista é encabeçada por Almeida de Jesus (PR-CE), com 81 voos, Hamilton Casara (PSDB-RO), com 57 passagens, e Miguel de Souza (PR-RO), com 56.

A relação dos 28 que mais usaram o benefício, mesmo sem mandato, inclui o presidente nacional do PPS, Roberto Freire (PE), o ex-ministro dos Esportes Agnelo Queiroz (PT-DF), o atual vice-governador de Mato Grosso do Sul, Murilo Zauith (DEM), e o ex-deputado Luiz Eduardo Greenhalgh (PT-SP).
Quatro ex-parlamentares não viajaram com as cotas, mas transferiram todas as passagens para familiares e terceiros: José Divino (sem partido-RJ), Remi Trinta (PR-MA), Jorge Gomes (PSB-PE) e Reinaldo Gripp (PP-RJ).

Entre os que mais usaram o benefício da Câmara, estão sete ex-deputados denunciados pela CPI dos Sanguessugas em 2006. São eles: Almeida de Jesus (PR-CE), Neuton Lima (PTB-SP), Edna Macedo (PTB-SP), Bispo Wanderval (PR-SP), Jonival Lucas Júnior (PTB-BA), além dos já citados José Divino e Reinaldo Gripp.

O número de ex-deputados que continuaram gastando os créditos da Câmara pode ser ainda maior. Os registros aos quais o Congresso em Foco teve acesso são apenas da Gol e se restringem ao ano de 2007. (Leia a matéria completa no Congresso em Foco
)

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Perfil do parlamentar voador

A fim de traçar o perfil de "ilustres representantes do povo" este blog fez uma entrevista exclusiva com um parlamentar no aeroporto. A entrevista deveria ser mais longa, mas o parlamentar dispunha de pouco tempo pois estava na correria para pegar o próximo vôo.
Leia:

Meio de transporte preferido?
Avião

Praia ou montanha?

Nem uma nem outra, prefiro as nuvens

Casa ou apartamento?

Avião

Livro que pretende escrever?

Minha vida é uma viagem

Sonho de consumo?

Um jatinho

Pasta 007 ou carteira?

Nem uma nem outra, prefiro malas Louis Vitton

Cama ou rede?

Poltrona de avião

Voz que te seduz?

Das aeromoças

Hobby?

Viajar

Sozinho ou acompanhado?

Com a mulher, filhos, amigos dos filhos, amante, periquito, papagaio, cachorro...

Projeto de lei que gostaria de apresentar?

Um projeto garantindo que todo parlamentar, mesmo depois de perder o mandato, tenha direito a fazer por conta do Senado ou da Câmara pelo menos uma viagem internacional por mês levando quem ele bem entender e que a mídia considere isso tão normal como beber água. Agora desculpe, senhora blogueira, que tenho que ir, já estão chamando o meu vôo. Até outro dia.

Uma rosa cor-de-rosa

Do meu jardim pra te fazer feliz

O que rola hoje na Prefeitura de Macapá

Reajuste salarial
A Prefeitura de Macapá envia hoje, às 10h, para a Câmara Municipal projeto de lei com a proposta de reajuste salarial do funcionalismo efetivo do município, que deverá ser escalonado, ou seja, beneficiando todas as categorias funcionais. O anúncio será feito pelo prefeito Roberto Góes, na Sala de Reuniões do Palácio Laurindo Banha, na Avenida FAB. A data-base do funcionalismo municipal é 1º de abril, então o projeto deverá ser votado esta semana pelos vereadores para ter efeitos sobre a folha de pagamento deste mês, a ser paga no dia 30.

Guarda Municipal
Uma comissão representativa dos interesses dos guardas municipais vai se reunir com o prefeito Roberto Góes nesta segunda-feira, às 10h30. O grupo será recebido no prédio da Prefeitura, contando com as presenças do atual comandante da Guarda Municipal, coronel Ubiranildo Macedo, o procurador-geral do município, advogado Vicente Cruz, a vice-prefeita Helena Guerra e o prefeito Roberto Góes.

Macapá Verão
O coordenador municipal de Cultura, José Augusto Cardoso, vai anunciar às 16h as mudanças da programação do Macapá Verão 2009, que está prometendo editar grandes festas nas férias escolares do mês de julho, estação mais quente do ano.

Lotes urbanos
A Prefeitura de Macapá enviou à Câmara Municipal projeto de lei que altera a planta de valores dos lotes urbanos do município, oferecendo descontos a título de incentivo à regularização dos terrenos. Nesta segunda-feira, o prefeito Roberto Góes e o secretário municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitacional, Alessandro Tavares, reúnem-se às 17h com os representantes do Cartório Eloy Nunes, único de registro de imóveis em Macapá. Será na Sede da PMM.
(Cleber Barbosa, diretor de Comunicação da Prefeitura de Macapá)

domingo, 26 de abril de 2009

No quintal da minha casa (1)

Os passarinhos azuis comem mamão e voam de um lado para o outro, brincam, cantam e ainda tomam banho numa banheira que improvisamos para eles e os bem-te-vis, sabiás, rolinhas, suís e tantos outros que fazem do nosso quintal um pedaço do paraíso

Um exemplo de cavalheirismo e civilidade

Presenciei agora há pouco um acidente de trânsito pertinho da minha casa. Um gol vermelho dirigido por uma mulher avançou a preferencial no cruzamento da avenida Almirante Barroso com a rua Hamiltom Silva acertando em cheio o carro do repórter policial Ery Santos, que rodopiou na pista e por pouco não atingiu outro veículo. Graças a Deus ninguém saiu machucado, mas o prejuízo é grande. A dianteira do gol ficou imprestável e a lateral do carro do repórter também.
Ery Santos manteve a maior calma do mundo - coisa rara de se ver em acidentes de trânsito. E mais do que isso: educado e cavalheiro, deu todo apoio a mulher, embora ela estivesse errada.
Muito nervosa, a mulher contou que vinha do Hospital São Camilo onde fora se curar de uma forte dor de cabeça, que mora num bairro distante, na periferia, e não tem familiares em Macapá, a não ser um jovem, portador de necessidades especiais, que estava com ela no carro. Não sabia a quem recorrer, o que fazer, que providências tomar para pelo menos rebocar o carro. Ery acalmou a mulher, providenciou um carro guincho e ainda se prontificou a acompanhá-la até sua casa.
E tem gente que por muito menos, xinga, grita e até puxa arma para matar o infrator.

No momento do acidente estava chovendo. A mulher não costuma andar por este bairro, portanto não conhece direito o trânsito daqui. Neste cruzamento não há sinalização horizontal (aliás não há em quase toda a cidade) e a sinalização vertical fica praticamente escondida atrás de um poste.
Ah, sim, a mulher disse que vai pagar o prejuízo do Ery. Mas ele disse que pode deixar pra tratar disso amanhã ou depois, o mais importante no momento era ela se acalmar e chegar com segurança em casa e sem esquecer de agradecer a Deus por ninguém ter se machucado.

Eles brilharam no Glycerão

Carlito e o Rei Dadá

sábado, 25 de abril de 2009

Artigo

Umas Margaridas e uns Domingos
Professor Alcides de Oliveira
alcides.oliveira2005@ig.com.br

Ao começar a se falar desses dois ilustres personagens, brasileiríssimos, amapaenses dos "pés rachados", trazidos ao nosso conhecimento pela reportagem de uma tv, é necessário primeiro falar que são dois anciãos, Dona Margarida e seu Domingos, representando sem saber a vida humilhante, degradante de milhões de anciãos, que estão nesse momento vivendo a nossa volta, em todo o lugar desse país, em toda a comunidade formadora dessa sociedade, sociedade essa paradoxal, pois nesse sentido, não pode essa sociedade ser social, pois não direciona essa qualidade para o viver desses anciãos. São duas pessoas lucidamente vivendo o resto de suas vidas, em um lugar bucólico, longe de burburinhos, sombreados pelas palmeiras dos açaizais, tendo como companhia seus anjos da guarda, suas lembranças distantes e a companhia mais importante nesse momento que é a esperança, pois mesmo com o avançado das duas idades, não a perderam, pelo contrário, está mais viva do que nunca, porque nunca, nunca precisaram tanto dela como agora, pois nesse momento das suas vidas ela representa a vontade de continuar a viver, representa ter saúde, representa ter comida para matar a fome, representa sarar as feridas trazidas pelo tempo, representa aliviar a dor do desprezo e do abandono, representa o encontrar de um carinho, de um respeito, de uma amizade, de uma caridade, de um aperto de mão, de um beijo na face ou de um abraço apertado. Essas duas almas sagradas, com os seus corpos sagrados, marcados pelo tempo, tentando ainda carregar esse tempo tão pesado, pesando ainda mais do que está, não querem muita coisa, o que querem é que todos os vejam, querem que todos os adicionem, querem ser mirados e assim ao serem mirados, que quem os mira sintam o que estão sentindo, querem que não sintam pena deles, mas que lhes deem dignidade e se possível ofício, querem ser incluídos, querem ser se não amados, mas amigos, eles gritam, mas suas vozes não são ouvidas ou os ouvidos que deviam ouvi-las, tem os tímpanos fechados hermeticamente para esses e abertos para quem não os faça esse tímpano vibrar e assim supostamente, se sentem desobrigados, mas suas consciências, quando as tem, muito mais instigantes e sofridas hão de ficar. Por que tem que ser assim? Por que esse dois anciãos tem que sofrer? Por que a distância de todos? Por que depois de tanto viver eles tem que viver na doença e na fome? Por que o poder público não os vê se eles estão ali, e se não os vê por que então é poder? Por que a sociedade que está a sua volta não os assume e se não os assume por que é social? Muitas perguntas e respostas nenhuma, ou quase nenhuma, quase, pois nem todos os seres humanos são tão poucos humanos, porque muitos são muito humanos, como estes que trouxeram a imagem da vida desses anciãos para todos que quiserem ver, eles não só trouxeram mas levaram também, levaram além de bens materiais o carinho, o respeito, o amor fraterno, a dignidade, levaram a cor da vida, a temperatura da vida, a alegria da vida, o alimento da vida e sendo assim eles levaram aquilo que aquelas duas vidas mais do que tudo precisam, eles levaram a esperança da vida que com certeza aqueles dois seres humanos nos seus cantinhos ali vivendo, nunca perderam, pois em seus pensamentos elevam aos céus agradecimentos mil àqueles que com muito senso de humanidade os fizeram trazer do fundo de suas almas um sorriso, que a muito estava guardado, porque a muito não houve motivo para mostrá-lo. Muitos seres realmente humanos, estão fazendo parte desse texto com muita honra, e eles sabem disso, porque todos tem a certeza que eles ao depararem com outras Margaridas e outros Domingos, também os farão trazer do fundo de suas almas, o sorriso, porque além de serem Margaridas e Domingos, são humanos e merecem sorrir.

quinta-feira, 23 de abril de 2009

O discurso do Papaléo

O que o senador Papaléo Paes (PSDB-AP) disse na sessão de ontem do Senado para todo o Brasil ouvir sobre a farra das passagens:

"Sr. Presidente, eu, infelizmente, não tive a oportunidade de discutir sobre o tema anterior, relativo às passagens. Quero deixar bem claro para aqueles que estão nos assistindo que o Senado Federal é uma instituição que tem de ter pessoas representando o povo aqui e os seus Estados. E, logicamente, se formos analisar a maioria absoluta é de pessoas que não precisam sequer do salário para representar o povo. Há pessoas aqui que não precisam do salário para representar o povo. Mas há outros… Hoje em dia, temos condições de eleger um Papaléo Paes, que não tem tradição econômica em seu Estado, e outros Senadores que se elegem por única vontade do povo.

Também quero dizer à população que o salário líquido que eu recebo é de 12 mil reais. Sou médico e o meu salário, como médico, em meu Estado é mais ou menos equilibrado com este aqui. A minha vida é modesta, não preciso… Agora, imaginem as senhoras e os senhores – não vou sequer falar para os Senadores -, se eu adoecer aqui e tiver de trazer a minha família, se eu não conseguir passagem na promoção, vou ter de pagar 7 mil reais por passagem!

E onde vou conseguir isso? Se fosse um parlamentar safado, mal caráter, conseguiria lá com o prefeito que arrumei emenda, conseguiria lá no empreiteiro, Sr. Odebrecht, Camargo Corrêa, para depois meu nome sair naquela lista de recebimento de doações.

Então, quero aqui, Sr. Presidente, reconhecer como uma medida moralizadora, porém, um pouco precipitada. E deveríamos, antes de tudo isso, pegarmos todas as denúncias que a imprensa está fazendo, catalogarmos, estudarmos a realidade e daí então sairmos com medidas concretas, porque, sinceramente acho que deveríamos ganhar o teto que a lei nos dá. Mas, quando chega no momento de votarmos o teto que a lei nos dá, todo mundo fica com medo da imprensa. Aí começam a jogar demagogia.

A imprensa entende muito bem que o parlamentar precisa ficar numa condição tal para não ficar vendendo seu voto aqui, para ganhar uma passagem, para não ficar saindo em listas de doações e mais doações, para não ficar fazendo caixa 2."

Olha a baixaria

“Ministério Público é o caralho! Não tenho medo de ninguém. Da imprensa, de deputados. Pode escrever o caralho aí."
(Deputado Ciro Gomes, do PSB-CE, desmentido que sua mãe tenha viajado para New York por conta da Câmara)

Retrato em preto-e-branco (2)

No quintal da nossa casa. Em pé: meu amigo Pixata (hoje conceituado empresário Mizael Santana) e eu.
Sentados: meus irmãos Alcilene e Zoth (que desde gitinho toca violão) e o amigo Chiquinho.
O ano eu não lembro. Mas é na década de 70

Fazendo turismo com o nosso dinheiro

Dos oito deputados federais do Amapá três participaram da farra das passagens internacionais, viajando ou presenteando parentes e amigos com passagens para Miami, Montevidéo e Bariloche.
São eles: Evandro Milhomem, Davi Alcolumbre (atual secretário municipal de Obras) e Alessandro Sabino (que exerceu o mandato por poucos meses enquanto Fátima Pelaes estava licenciada).

Sem registro de nascimento

Dados da Secretaria Especial dos Direitos Humanos revelam que mais de 30% das crianças nascidas no Amapá não tem registro de nascimento. A maioria delas nasceu no interior.
Um dos principais motivos é a distância dos cartórios.

Coisa feia

Terminou em bate-boca rasteiro a sessão plenária de ontem do Supremo Tribunal Federal (STF) entre o presidente Gilmar Mendes e o ministro Joaquim Barbosa.
Olha só um pouquinho do que rolou:

Gilmar Mendes – Vossa excelência não tem condições de dar lição a ninguém.

Joaquim Barbosa – E nem vossa excelência. Vossa excelência me respeite, vossa excelência não tem condição alguma. Vossa excelência está destruindo a justiça desse país e vem agora dar lição de moral em mim? Saia a rua, ministro Gilmar. Saia a rua, faz o que eu faço.

GM – Eu estou na rua, ministro Joaquim.

JB – Vossa excelência não está na rua não, vossa excelência está na mídia, destruindo a credibilidade do Judiciário brasileiro. É isso.

JB – Vossa excelência quando se dirige a mim não está falando com os seus capangas do Mato Grosso, ministro Gilmar. Respeite.

Artigo

Devemos ter preocupações com o marabaixo

*Rostan Martins

As várias modificações que a dinâmica cultural se impõe no marabaixo deve ser motivo de preocupação ou pelo menos ficarmos de orelha em pé, quanto a sua descaracterização. As mudanças ou atualizações se fazem necessários pelo simples fato de que tudo na natureza caminha pra frente e se modifica a cada instante. E o nosso marabaixo tem que atualizar-se, mudar-se e modificar-se.
A grande preocupação que todos devemos ter é quando a essas atualizações ou modificações descaracterizarem por completo a forma e o conteúdo do modificado.
Desde a sua origem, provavelmente na Vila de Mazagão Velho, a cultura do marabaixo vem se atualizando, sempre pra melhor manifestar-se e ficar de acordo com o que mandam as normas das dinâmicas sociais. As indumentárias, por exemplo, modificaram-se. Antes tínhamos as saias rodadas floridas de chitões, hoje temos as mesmas saias rodadas floridas, só que de cetim ou outro tipo de tecido. As nossas marabaixeiras pioneiras não usaram cetim porque não existia na época. No caso dos marabaixeiros o chapéu era um acessório de cunho social/coletivo e, portanto, usado nas festas de marabaixo, posteriormente esse acessório perdeu o seu uso, e, portanto, também perdeu o seu uso nas festas de marabaixo. Essas mutações não descaracterizaram o marabaixo, melhoraram-no ou atualizaram-no.
A descaracterização, no caso das indumentárias citadas, seria, por exemplo, mudar as saias rodadas por mini-saias, ou no caso dos chapéus o uso de perucas.
As regras das características originais, que fazem o marabaixo conservar a sua originalidade, estão na tradição, na tradicionalidade e no subconsciente da coletividade que faz fazer a cultura, coletividade que tem autoridade para permitir ou não as suas modificações. O problema está quando outras influências ou forças tentam impor as modificações que poderão descaracterizar-lo. Sobretudo o poder do capital financeiro e a política partidária que se tornaram muitos perversos para as diversas culturas populares.
Fazendo uma comparação com a cultura dos desfiles carnavalescos, que também é uma manifestação popular, tal qual o marabaixo, que apesar da tradição, da tradicionalidade ou do subconsciente, foi necessário criar um conjunto de regras para proteger a cultura quanto a sua descaracterização. Esse conjunto de regras é o regulamento definido pelas entidades. Só como exemplo, duas das regras do carnaval é: não conter enredos de cunho comercial e não apresentar propagandas político-partidárias nos desfiles. O uso destes iria descaracterizar-lo por completo.
O anúncio de que surgiram idéias de incorporar novos instrumentos musicais no marabaixo, com o objetivo e deixá-lo mais interessante é um caso desses. Não estou dizendo que devemos criar um conjunto de regras para proteger o marabaixo, ainda não é o caso, o que estou querendo dizer é que precisamos ficar de orelha em pé quanto a isso tudo.
Com certeza não queremos ficar que nem o vizinho estado do Pará que desenvolve vários projetos com o objetivo de resgatar a originalidade do carimbó, uma das suas principais manifestações populares.


Rostan Martins é jornalista, mestre em semiótica e professor universitário

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Para o Repiquete

Escombros da casa de Cabralzinho, no município de Amapá

Diga aí, Daniel!

"Olá diga aí...não sei porque insisto, é que recuar só se for para chutar o balde! Não temos nada a ganhar nem a perder. O Bailique com suas belas redes, lembra vocês. Lembra o Amapá e a Mara Araújo que sempre me dizia "que bom sua presença nessa lida..." achava que queria dizer...vida, isso em Macapá e Moçambique. Velho é o tempo, e o vento que idade tem?
No mais o amigo (?) como bom político que foi ou que ainda é, sabe do ditado - nada se deve fazer em política que não possa ser reatado, as alianças e amizades, devem sempre prevalecer, sobretudo as promessas ao povo, dizia Ulisses.
Vá juntando na gaveta, fotos que lembram o esquecimento, os companheiros e amigos. Os antigos adversários e hoje parceiros...
Tenho uma lista razoável que poderá ajudá-lo a refazer, restaurar, esta velha estrada da vida, inclusive barcos e canoas hoje ancorados. Ainda poderão flutuar novamente nos igarapés em busca de parcerias políticas para realizar o sonho do desenvolvimento sustentável...
Não se perca na floresta nem no asfalto."


O fotógrafo Daniel de Andrade, premiado nacional e internacionalmente, nasceu na Bahia e mora no Rio Grande do Sul. Durante a ditadura militar saiu do Brasil e viveu no Chile, França, Kopenhague, Dusseldorf e Moçambique. . Estudou fotografia e cinema na França. Em Moçambique, trabalhou como fotógrafo para a FRELIMO Frente de Libertação de Moçambique.
No Brasil trabalhou no Coojornal e Zero Hora, entre outros. Morou alguns anos no Amapá e fez as fotos mais lindas deste pedaço do Brasil. Tem três livros publicados: Amapá, a Luta dos Trabalhadores Sem Terra e Um novo Mercado Velho de Rio Branco.
Daniel pilota o blog
Saitica, que eu recomendo visita diária.

terça-feira, 21 de abril de 2009

Ah, esse Claudionor


Só mesmo o delegado Claudionor Soares pra se abalar de Macapá pro Rio de Janeiro para assistir ao treino do Botafogo nesta terça-feira.
Por ter ido de tão longe, Claudionor ganhou destaque na mídia esportiva brasileira e caiu na grande rede mundial com direito a foto e vídeo.
Para ler a matéria completa e assistir ao vídeo clique aqui.

Remédios no lixo

Entra ano e sai ano, muda governo e prefeito, muda secretário de saúde e a patifaria continua.
Há anos é rotina faltar remédios nos hospitais e postos de saúde e também já virou rotina jogar remédio no lixo.
Os medicamentos, que sabe-se lá por que, não vão para os hospitais e postos de saúde, vencem nas prateleiras dos almoxarifados e depois são jogados no lixo geralmente em bairros de periferia.
Ontem uma grande quantidade de medicamentos com prazo de validade vencido, seringas descartáveis e fracos de soro foi encontrada numa área de ressaca do bairro Universidade. Sem noção do perigo, a criançada do bairro, se divertia brincando com as seringas e os remédios.
Dentre os remédios jogados no lixo, a maior quantidade era de Tienam 500 injetável, usado para combater infecções graves. Havia também remédios cujos frascos chegam a custar oitocentos reais nas farmácias de Macapá.
Toda vez que se descobre que medicamentos são jogados no lixo, as autoridades juram que vão abrir inquérito, vão fazer sindicância para chegar aos culpados e que estes serão punidos e os deputados fazem discursos indignados na mídia e na tribuna. Tudo jogo de cena. Não se resolve nada, não se descobre os culpados e quando a coisa está caindo no esquecimento, mais um monte de remédios é encontrado no lixo.
Até quando?

Pedofilia

Nota da coluna Gazetilha, do jornal “a Gazeta” diz que a Polícia Federal está investigando uma vasta de rede de pedofilia aqui no Amapá. Ainda de acordo com a nota, participam desta rede grandes empresários e políticos.
Eu não duvido nadinha.
Basta ver as luxuosas pick-up, de vidro peliculado, que abordam as crianças ali na Praça Beira-rio.


Aliás, quando é que o Poder Público vai tomar alguma providência para impedir que os "barraqueiros" e ambulantes da Beira-Rio continuem vendendo bebida alcóolica para a gurizada?

Pra descontrair

Recebi por e-mail e compartilho com vocês:

Se você não gosta de gírias, fale difícil!
1 - Prosopopéia flácida para acalentar bovinos.
(Conversa mole pra boi dormir);

2 - Colóquio sonolento para bovino repousar.
(História pra boi dormir);

3 - Romper a face.
(Quebrar a cara);

4- Creditar o primata.
(Pagar o mico);

5 - Inflar o volume da bolsa escrotal.
(Encher o saco);

6 - Derrubar, com a extremidade do membro inferior, o suporte
sustentáculo de uma das unidades de proteção solar do acampamento.
(Chutar o pau da barraca);

7 - Deglutir o batráquio.
(Engolir o sapo);

8 - Derrubar com intenções mortais.
(Cair matando);

9 -Aplicar a contravenção do João, deficiente físico de um dos membros
superiores..
(Dar uma de João sem braço);

10 -Sequer considerando a utilização de um longo pedaço de madeira.
(Nem a pau);

11 - Sequer considerando a possibilidade da fêmea bovina expirar
fortes contrações laringo-bucais.
(Nem que a vaca tussa);

12 - Sequer considerando a utilização de uma relação sexual.
(Nem fu.......);

13 - Derramar água pelo chão, através do tombamento violento e
premeditado de seu recipiente com a extremidade do membro inferior.
(Chutar o balde);

14 - Retirar o filhote de eqüino da perturbação pluviométrica.
(Tirar o cavalinho da chuva);

15 - A bucéfalo de oferendas não perquiris formação ortodôntica!
(A cavalo dado não se olham os dentes!)

Cultura no Sesc

O SESC traz a comédia irreverente “De malas prontas” (SC), em única apresentação no Teatro das Bacabeiras, dia 27 de abril, às 20h. Ingresso com preço único R$ 3,00.

"De Malas Prontas”, da Cia Pé de Vento, de Santa Catarina, é uma comédia irreverente, sem fala, que conta a história de duas mulheres obrigadas a compartilhar o mesmo banco de um aeroporto. No desenrolar do espetáculo se percebe que compartilhar não é tão fácil assim e, os conflitos se sucedem velozmente até a situação chegar a um ponto sem retorno, e só há uma saída: a guerra.
Na verdade o espetáculo por onde voa impressiona por sua inquietude através de uma linguagem universal sem utilizar uma única palavra.
Critica a irracional violência cotidiana, através da comédia, se fazendo compreensíveis pela brilhante atuação das atrizes Vanderléia Will e Andréa Padilha, que através de gestos, intenções e recursos circenses surpreendem com maestria a proposta do diretor espanhol Pepe Nuñez.
Assistir este espetáculo não é só um bom divertimento mas um encontro com umas das mais surpreendentes comédias da cena nacional.

Palco Giratório
O projeto Palco Giratório foi criado pelo Departamento Nacional do SESC com o objetivo de difundir e descentralizar as artes cênicas no Brasil.
Promove uma média de 170 apresentações a cada temporada de 60 dias – este ano, serão quatro temporadas. A programação oficial acontece de abril a novembro. Foi realizada uma seleção com curadores que representam o Sesc em todo o Brasil com o intuito de selecionar 16 espetáculos de teatro e dança a partir de 90 indicados.

Oficina: A arte do Palhaço (Modulo Iniciação)
Pepe Nuñes (diretor do espetáculo) ministrará a oficina “iniciação da arte do clown” (a arte do palhaço), no dia 26/04, das 9h às 13h e das 15h às 19h. São 20 vagas destinadas a atores dos grupos de teatro que prestam ou prestaram serviços aos projetos teatrais do Sesc Amapá.
(Assessoria de Comunicação do Sesc)

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Retrato em preto-e-branco (1)

Eu e o poeta e jornalista João de Jesus Paes Loureiro, em 1972,
na redação do jornal Folha do Norte, de Belém do Pará

Artigo

O Amapá fica fora da Rede de Pesquisa em Malária
Prof. Dr. José Carlos Tavares

O Conselho Nacional de Pesquisa – CNPq, juntamente com as Fundações de Apoio a Pesquisa dos Estados do Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Rio de Janeiro e São Paulo lançaram no dia 14/04 o edital para a formação da Rede de Pesquisa em Malária com recursos financeiros na ordem de 10 milhões de reais.

O Estado do Amapá é campeão em registro de casos de malária, ocorrendo em todos os municípios inclusive em Macapá, onde foram registrados 474 casos no ano de 2007. Sendo assim, não dá para entender como um estado que possui prevalência significativa em determinada doença não aproveita as oportunidades, como a ofertada pelo CNPq para estudo da malária em diversos campos. Pergunta-se é por falta do recurso de contrapartida? já que cada Fundação de Amparo, no nosso caso a SETEC, teria que oferecer. É por falta de interesse no tema? ou é por falta de pesquisadores na área, que pudessem concorrer com projetos? Devo dizer que apesar do edital ressaltar a questão da existência de grupos de excelência na área, mas os estados da região norte acima listados estão em igualdade com o Estado do Amapá, portanto, não trata-se de falta de recursos humanos na área de pesquisa, pois posso destacar aqui alguns nomes de pesquisadores que estudaram e estudam malária com alta qualidade, como é o caso da Profa. Dra. Rosemary Ferreira (UNIFAP), já premiada no tema, Prof. Dr. Álvaro Couto (SEAMA e CDT-AP), Prof. Dr. Raimundo Nonato Picanço (UNIFAP), Profa. Elizabeth Viana (UNIFAP), Prof. Rinaldo Martins (UNIFAP) e outros que com certeza, se o Amapá estivesse entrado na composição da rede de malária, apresentariam projetos e seriam contemplados.

Deve-se analisar que a questão é mais séria. A partir do momento que não há iniciativa e interesse dos gestores maiores quanto a lutar pelo espaço, colocando o Estado do Amapá no mesmo nível dos outros estados, ficamos sempre a mendigar, e assim os órgãos de fomento a pesquisa, passam a acreditar que no Estado do Amapá não há cientistas (pesquisadores), ou aqueles existentes são improdutivos e incompetentes, que não é o caso. Basta citar que um grupo de pesquisa da UNIFAP concorreu em edital nacional do CNPq, com instituições como Fiocruz-RJ, USP e Instituo Evandro Chagas – PA e ganhou dessas instituições, com projeto que dizia-se certo que iria perder. Outros casos de sucessos poderiam aqui ser citados, mas o importante é dizer que o Estado do Amapá está muito mau no que se refere a Ciência e Tecnologia (C & T), principalmente em relação a implementação de ações que pudessem valorizar a capacidade e o conhecimento dos pesquisadores locais.

É inconcebível que seja destinado somente o montante de 1 milhão e quinhentos mil reais para C & T para o ano de 2009, num estado que se diz detentor da maior biodiversidade do país, entretanto, as cifras que são gastas com propaganda, chegam a 5 vezes mais a esse valor.

Em C & T é necessário ousadia, e mesmo que aparentemente não tenhamos recursos humanos disponíveis para estabelecer concorrência em nível nacional, mas é preciso acreditar nos grupos de pesquisa emergentes que aqui estão, e sem dúvida, desde que sejam ofertadas condições, esses grupos poderão contribuir para a resolução dos nossos problemas locais, principalmente em relação as doenças negligenciáveis, e ao baixo rendimento nos indicadores da educação que atingem o nosso estado.

No mesmo rol da formação da rede de malária, o CNPq já anuncia a formação da rede de pesquisa em dengue. Vamos observar atentamente quais são as iniciativas que os representantes do governo estadual responsáveis pelas políticas de C & T, irão fazer para que o Estado do Amapá seja incluído nessa rede. Haja vista que semelhante a malaria, o Amapá está entre os primeiros em ocorrência de dengue, e há pesquisadores capazes de estudar dengue em vários níveis de pesquisa no estado.

domingo, 19 de abril de 2009

Minha mãe era linda

Professora Delzuite Cavalcante

Lembras

quando a gente ia buscar sarará no canal?
Era assim o canal da Mendonça Junior na minha infância. E acreditem: era mais limpo que agora. Naquela época o povo era mais educado, não jogava lixo ali.
Lá a molecada fazia a festa tomando banho e juntando sarará (um bichinho que parece uma miniatura de caranguejo), muito usado em mingau de mucajá para anular uma espécie de gosma que essa fruta solta quando é amassada.
Minha vizinha, dona Lourdes, gostava de fazer esse mingau. E fazia como ninguém.
Quando era tempo de mucajá a molecada ficava na espreita e quando via chegar aqueles cachos enormes, geralmente trazidos pelo senhor Geraldo de uma comunidade aqui pertinho, a Ilha Redonda, a turma corria pro quintal da dona Lourdes e já se colocava à disposição para ajudar. Essa ajuda consistia em ir catar sarará.
E a molecada toda ia - meninos e meninas - fazendo estripulias, pulando e correndo. Claro que toda essa felicidade não era só pelo desejo de ajudar ou pela vontade de tomar o delicioso mingau, feito na lenha, num panelão no fundo do quintal. Era por causa do banho no canal, das apostas para ver quem tinha mais fôlego, quem mergulhava por mais tempo, quem nadava mais rápido. E outras brincadeiras ditadas pela imaginação, como achar um tesouro (qualquer objeto) no fundo do mar (o próprio canal).

Te vi no Marabaixo (5)

Professora Marilda. Ela sabe tudo de Marabaixo

Artigo dominical

Bíblia e catequese

Dom Pedro José Conti, Bispo de Macapá


Neste segundo domingo de Páscoa teremos dois eventos importantes para os católicos, que vale a pena comentar. Em nível de Brasil ocorrerá a abertura do Ano Catequético Nacional; e na nossa Diocese o lançamento da edição da Bíblia da CNBB, comemorativa dos 60 anos da Prelazia e, hoje, Diocese de Macapá.
O primeiro Ano Catequético no Brasil foi celebrado em 1959. Muitos passos foram dados pela Igreja e, entre tantos, vale lembrar o Concílio Vaticano II. Foi depois dessa graça do Espírito Santo que começamos a chamar o “catecismo” de “catequese”. Não foi uma simples mudança de palavras, mas um novo sentido dado à formação do cristão. Ainda hoje a maioria dos católicos pensa que seja obrigação somente das crianças freqüentarem o catecismo, pela simples razão de que ainda não fizeram a Primeira Comunhão e a Crisma, sacramentos que, com o Batismo, completam a chamada Iniciação Cristã. A criança, batizada pequena, era obrigada a “estudar” o catecismo para receber os outros sacramentos. Depois disso acabava o percurso catequético. Tudo isso funcionou até a alguns anos. Hoje é mais difícil.
Vivemos numa sociedade pluralista. A todos são oferecidas opções diferentes não só religiosas, mas também de vida. Costumes mudaram. Valores como a vida, a justiça, a paz e a fraternidade, que pareciam imutáveis e “naturais”, devem ser propostos às novas gerações de forma atrativa, e devem ser motivados positivamente para não serem trocados com o prazer imediato, a esperteza nos relacionamentos e a obsessão do dinheiro, do consumo e do sucesso.
O catecismo tinha como objetivo principal a explicação da fé como uma doutrina que era suficiente ensinar, porque a família, a escola e a sociedade se encarregavam, depois, de ajudar o jovem a viver o compromisso e os costumes cristãos. Nos nossos dias a fé cristã é cada vez mais uma opção de vida consciente e motivadora da própria existência humana. Mais do que conhecer uma doutrina precisamos todos vivenciar a experiência de Jesus Cristo Caminho, Verdade e Vida. O Catecismo, agora Catequese, deve ser uma verdadeira iniciação à vida cristã. Deve transmitir ensinamentos e obrigações, mas, sobretudo, deve ajudar a chegar a uma opção de vida que faça do cristão uma pessoa exemplar e honesta como cidadão e como ser humano, independentemente da raça, cor, sexo, idade ou classe social. A Catequese tem como objetivo a vida integral da pessoa, para que sejamos cristãos sempre e não somente em algumas ocasiões alegres ou tristes da vida.
O que dizer dos sacramentos da Primeira Eucaristia e da Crisma? São os sacramentos do “início” da vida cristã e não do fim dela. É o perigo que corremos quando ainda pensamos que, após a Crisma, o católico não tenha mais nada para aprender. Não somente cada um de nós tem sempre muito a conhecer e aprofundar, como também deve começar a viver plenamente a sua participação na comunidade dando testemunho do que aprendeu com a própria vida comprometida com o bem, a justiça e a paz. É por isso que hoje falamos também de Catequese de Adultos e de Formação Permanente para todos. Um cristão católico que goste da própria fé deve procurar sempre atualizá-la. Se deixar de fazer isso, pode tornar-se um saudosista do passado; um adulto com um conhecimento e uma experiência da vida cristã de criança e adolescente. Cresceu e envelheceu no corpo, mas não no espírito. O Ano Catequético pode nos ajudar a refletir sobre a nossa maneira concreta de cuidar da formação cristã e do crescimento permanente de todos, numa busca constante de integração entre a fé e a vida de cada um. Precisamos de cristãos mais sérios e preparados, para que o nosso declarar-se católico não seja pura superficialidade.
Enfim, por ocasião dos 60 anos da Prelazia e depois Diocese de Macapá pensamos numa edição comemorativa da Bíblia da CNBB. Na prática é a Bíblia católica com a tradução oficial aprovada e recomendada pelos bispos. Na confecção do livro foi possível, combinando com a gráfica, inserir algumas páginas “personalizadas”. Nessas páginas as dioceses, ou as instituições, que encomendam as Bíblias podem colocar reflexões e fotografias de fatos e pessoas da própria história. Uma simples iniciativa que quer alcançar dois objetivos: comemorar uma data histórica da nossa Prelazia-Diocese e oferecer aos católicos uma edição da Bíblia acessível no custo e com uma tradução atualizada das sagradas escrituras. Servirá para a leitura orante da Bíblia, para os círculos bíblicos, e também – esperamos - para que as pessoas, as famílias e os grupos tenham mais amor e familiaridade com a Palavra de Deus.

sábado, 18 de abril de 2009

Te vi no Marabaixo (6)

Ana Olinda Barros, Thais Lobo, Marciene Barros e Marli Costa

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Marabaixo da Favela (2)

“Vou-me embora vou-me embora
pra onde foi a baleia
Tenho pena de deixar
o meu amor em terra alheia”

Boa tarde!

"É melhor atirar-se em luta, em busca de dias melhores,do que permanecer estático como os pobres de espírito,que não lutaram, mas também não venceram." (Bob Marley)

No Maranhão

Há cerca de uma hora Roseana Sarney (PMDB) foi empossada como governadora do Maranhão na Assembleia Legislativa do Estado.
Mas Jackson Lago, apoiado por milhares de manifestantes, resiste. Ele anunciou que não deixará o Palácio dos Leões, sede do governo. Além de Lago, mais de 500 pessoas estão dentro do Palácio e se recusam a sair.
"Se nós sairmos daqui mansamente o povo perde a esperança e será necessário o trabalho de muitas gerações para retornar com a esperança do povo. Não temos o direito de frustrar a esperança do povo. Vamos resistir. Não vamos sair do Palácio dos Leões enquanto não tiver sido julgado todos os recursos no STF, e no próprio TSE contra a outra candidata", diz Lago.

Bom dia!

Do meu jardim para que tenhas um final de semana feliz

Este blog adverte:

Beber água da Caesa faz mal à saúde
É assim que água que a Companhia de Água e Esgoto do Amapá (Caesa) distribui está chegando nas torneiras dos amapaenses (Foto: Notícias Daqui)

Sarraf toma posse no cargo de prefeito

Barbudo Sarraf, conhecido até nacionalmente por causa dos quilos de ouro com os quais se enfeita, foi empossado ontem no cargo de prefeito de Laranjal do Jari - o terceiro maior município do Amapá.

Empresário, ex-garimpeiro e ex-vereador, ele foi o segundo colocado na eleição de outubro e com a cassação da prefeita Euricélia Cardoso assumiu ontem o governo municipal.
Promete fazer de Laranjal do Jari uma cidade jóia.
(Foto: jornal A Gazeta)

Ordem na praça

Polícia Militar e Secretaria Municipal do Meio Ambiente estão botando ordem na praça do Marabaixo III, bairro da periferia, autuando os ambulantes que insistem em vender bebida alcoólica quando só têm autorização para comercializar água, refrigerantes, churrasquinhos, batata frita, churros e outras guloseimas. Falta agora a Vigilância Sanitária fazer sua parte, pois a maioria daqueles carrinhos e cubas é uma sujeira só.
Espera-se maior rigor do Poder Público ali na Beira-Rio, que era um dos mais belos cartões postais de Macapá e virou uma currutela. Ali, menores bebem e se drogam e viram presa fácil para os pedófilos.
A imundície impera. “Cozinheiros” sem toucas ou luvas, unhas sujas e com a mesma mão que pegam o dinheiro pegam também as batatas, sanduíches etc.
Na maioria das barraquinhas se pode ver um balde de água suja onde a louça suja é mergulhada rapidamente e tirada para ser usada de novo.
Apesar da proibição da venda de bebidas, ali se vende toda espécie de goró a noite inteira para crianças e jovens. Quem passa por lá por volta das 7h30 da manhã dá de cara com um espetáculo deprimente: mulheres bêbadas, descabeladas, maquiagem borrada debruçadas sobre as mesas e homens bêbados, sem camisa, jogados na calçada.
É uma visão do inferno, bem na frente do majestoso Rio Amazonas, do Macapá Hotel (o hotel que mais recebe turistas) e a pouquíssimos metros da bicentenária Fortaleza de São José.

Tarde demais

Sobre o convite que a deputada federal Dalva Figueiredo está fazendo aos filiados do PT para uma “Plenária Ampliada para avaliar e receber contribuições para as ações do Mandato no ano de 2009”, o leitor e eleitor Heitor Carvalho disse na caixinha de comentários:
“Agora a deputada Dalva que tanto esperamos dela,vem querer debater o restinho do seu mandato com o povo.É tarde demais deputada,acabou-se tudo!”

Operação catraca

Essas empresas de transporte coletivo não tem jeito mesmo.
Uma operação desencadeada pela Empresa Municipal de Transportes Urbanos flagrou 70% dos ônibus com o lacre da catraca violado.

Querem porque querem esconder o número de passageiros/dia.

Ministro da Previdência vem ao Amapá

O ministro da Previdência Social, José Barroso Pimentel, virá ao Amapá no dia 4 de maio para inaugurar uma agência do INSS no município do Laranjal do Jarí, que além de atender o Laranjal vai atender também Vitória do Jarí e a comunidade de Monte Dourado, um distrito paraense.
A articulação para a vinda do ministro foi feita pela deputada federal Fátima Pelaes (PMDB-AP).

Recebi e agradeço

Convite do prefeito Roberto Góes para participar da programação comemorativa aos cem dias de sua gestão, hoje, sexta-feira, às 8h na Prefeitura de Macapá. Na ocasião será lançado o informativo "Cidade Forte", algo como uma prestação de contas destes cem dias.

Zany e a flor

Minha amiga e blogueira Zany Vasconcelos gostou tanto da papoula do meu jardim que ofereci ontem à tarde a vocês aqui no blog, que agradeceu assim:

Esta beleza de flor
que você ofertou
com uma cor genial,
imagino que o perfume
seja algo divinal.
Se ela tinha a função
de alegrar o coração
podes crêr aconteceu,
ao apreciar a singeleza
desta obra da natureza.

Artigo

Malditos índices

Alcides de Oliveira
alcides.oliveira2005@ig.com.br


Da análise social e econômica que se faz de uma determinada sociedade, extrai-se números, índices, que traduzem essa análise. Esses índices advém de situações que foram mais ou menos satisfatórios em suas realizações, levando sempre em consideração fatores que traduzem em uma melhor qualidade de vida daquela sociedade, em uma melhor expectativa de desenvolvimento, para que essa qualidade de vida seja realmente sentida por todos os atores que compõem essa sociedade. Essas análises devem ser friamente executadas, responsáveis, com dimensões que traduzam verdadeiramente a realidade, imparcial nas suas ações, metódica e extremamente profissional pois são esses fatores que ao final darão credibilidade àquelas resultantes que se apresentaram por final. Por que a análise? Por que saber as resultantes? A análise é para se verificar como está o termômetro que mensura todos os fatores econômicos e sociais de uma sociedade pré-determinada, observando-se assim, os resultados, e a partir daí, criticamente analisá-los, como sendo malditos ou benditos.

Na maioria das análises pressupõe-se que os resultados serão satisfatórios na medida em que se acha que os direcionamentos tomados até aquele momento por quem de direito, teria que inevitavelmente levar a estes resultados, mas infelizmente esse pressuposto muitas vezes não acontece, pois os atores desses direcionamentos muitas vezes não o dirigiram corretamente e portanto os resultados serão considerados malditos, o que não deveria ser, porquanto esses resultados devem ser encarados não como irresponsabilidades de certos atores, mas para fins de críticas construtivas, de repensar, de dar novo direcionamento as atitudes e de refazer o mal feito.

Aos que tem a responsabilidade de dirigir o estado, direção essa, que se pressupõem, o de levar a sociedade a um desenvolvimento econômico e social relativamente satisfatório, com um índice desse desenvolvimento bastante elevado, estes devem estar considerando o último resultado desses índices, publicados na mídia nacional, como malditos e portanto muito preocupantes, na medida em que, esses índices, estão traduzindo uma regressão nos caminhos desse desenvolvimento. Se traduzem a realidade, deve-se assumir, verificar onde está se errando nos direcionamentos e atitudes, mas se há divergências, que a sociedade seja informada dessas divergências, que os responsáveis pelos destinos dessa terra, sejam transparentes nas suas informações, que essa transparência seja uma constante na vida cotidiana, que seja refutada com veemência todas as informações que não condigam com a verdade, seja ela dolorosa ou não, que não tenha lugar a camuflagem ou a mentira que porventura algum agente inescrupuloso venha a executar e que os verdadeiros agentes públicos donos de idoneidade, e seguidores da verdade e do bem, como muitos nesse estado do Amapá, conclame a sociedade, converse com essa sociedade, mostre o estado para o restante da nação, como um estado honesto nas suas convicções e verdadeiro nas suas atitudes, pactue as mazelas e as felicidades, peça cumplicidade e assim, com certeza, no futuro poderá se aceitar qualquer índice, sem se preocupar se ele será bendito ou maldito, mas que será acima de tudo verdadeiro.

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Deputado Camilo integra Frente Nacional para erradicar o trabalho escravo

Brasília, 16/04/2009 – O deputado estadual Camilo Capiberibe (PSB), presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Amapá, ingressou hoje, 16, na Frente Nacional pela Erradicação do Trabalho Escravo. A adesão aconteceu em encontro com o senador José Nery (PSOL/PA), vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa do Senado Federal.
Mobilização – Como consequência, o deputado socialista comprometeu-se de apresentar na Comissão de Direitos Humanos, que preside, um requerimento para que seja enviada uma moção aos deputados federais do Amapá pedindo a aprovação imediata da Proposta de Emenda à Constituição – PEC – 438/2001. A deputada federal Janete Capiberibe (PSB/AP) vai ajudar na mobilização dos parlamentares federais.
A PEC já foi aprovada pelo Senado Federal e espera a votação em segundo turno pela Câmara dos Deputados onde está parada desde 2004. Um abaixo assinado pedindo a aprovação da PEC está correndo o país. Já foram recolhidas mais de 250 mil assinaturas em favor da lei que expropria para a reforma agrária, sem direito à indenização, as terras onde forem encontrados trabalhadores subjugados em regime de escravidão. O apoio à PEC também pode ser feito pela Internet, no site www.trabalhoescravo.org.br
Ano passado, o Ministério do Trabalho resgatou 5 mil e 16 trabalhadores que estavam em regime análogo ao da escravidão. Nenhum no estado do Amapá, onde foi realizada apenas uma operação em três fazendas. Isso pode não ser um bom sinal, segundo o deputado Camilo Capiberibe. “A discussão sobre esse tema quase não existe no Amapá”, disse o socialista, que mostrou-se preocupado com a situação dos trabalhadores no estado e nas regiões de fronteira com a Guiana, além dos garimpos clandestinos.


Permanente – O deputado socialista também manifestou interesse de trabalhar conjuntamente com a Comissão do Senado Federal para combater o trabalho escravo e outros crimes de violação de direitos humanos no Amapá. No início deste ano, funcionários do Instituto Chico Mendes levaram à Assembleia um grupo de trabalhadores que denunciou ter sofrido agressões e trabalho escravo. Um grupo de agricultores da comunidade de São Tomé, Reserva Extrativista do Rio Cajari, localizada entre Laranjal e Vitória do Jari, acusou um fazendeiro de escravizar trabalhadores da reserva e ameaçar famílias com armas de fogo, além de ter recebido ajuda da polícia civil e militar para torturar e realizar prisões sem mandado judicial. No Senado Federal, a Comissão de Direitos Humanos instalou uma Subcomissão Permanente de Combate ao Trabalho Escravo. “É uma comissão permanente mas não queremos que seja eterna. Espero que não seja preciso ter comissão deste tipo em lugar nenhum”, afirmou o senador José Nery, que preside a Subcomissão.
(Sizan Luis Esberci, da assessoria da deputada federal Janete Capiberibe)

Para a gurizada

Continua em cartaz o espetáculo infantil “Os magníficos”, da Trupe Show de Animação (AP), todas as sextas e sábados do mês de abril, às 19h no teatro Porão (Sesc Araxá). A entrada é R$3,00.
O espetáculo retrata o dia a dia de um circo muito louco, onde a alegria prevalece e a tristeza passa longe. Malabaristas, acrobatas, equilibristas, palhaços insanos e atletas do coração que deixam a vida do Senhor Apresentador de cabeça pra baixo, e esse faz de tudo para dar o troco nos dois palhaços com doses de alegria e muita diversão.

Do meu jardim

pra te fazer feliz

Será?

O prefeito de Santana, Antônio Nogueira, anuncia que em breve aquele município terá banda larga. Ele e o vice, Carlos Matias, estão no Rio de Janeiro desde ontem para a assinatura do Termo de Cooperação Técnica com a Telecom.
Se for mesmo verdade eu juro que me mudo pra Santana porque aqui na capital a interlerda está cada dia mais lerda.

Esta é para os acadêmicos de jornalismo

Já estão abertas – e vão até o dia 29 de junho – as inscrições para 5º Concurso Universitário de Jornalismo CNN.
O tema deste ano é “O uso da tecnologia no desenvolvimento social.”
A novidade de 2009, diz a coordenação, é que o estudante vai poder enviar o vídeo de até 2 minutos pelo YouTube, sendo que ele poderá produzir quantas matérias quiser.O concurso é válido somente para estudantes de jornalismo.O ganhador conhecerá os estúdios da CNN International, além de ter sua matéria exibida pelo canal.
As inscrições podem ser feitas no site:
www.concursocnn.com.br

Nova enquete - O filme

Tá chegando mais um feriado e feriado é dia bom para assistir um filme.
O blog pergunta que filme você indicaria para os políticos assistirem no feriado?
Participe da enquete (aí do lado esquerdo).
Se você tem outros filmes para indicar use a caixinha de comentários.

Lázaro, ex Olodum, se apresenta em maio em Macapá

Elainne Juarez

Com um novo olhar diante da vida, o cantor Lázaro, ex integrante da Banda Olodum, vem reunindo multidões durante shows realizados em todo país. Sob a perspectiva da mudança no rumo de sua trajetória musical, Lázaro viaja pelo Brasil testemunhando como se livrou das drogas e como conseguiu retomar sua carreira.

Na programação “Canto no Meio do Mundo”, dia 9 de maio, às 20 horas, véspera do Dia das Mães, Macapá estará recebendo o cantor para uma grande noite, no estádio Glicério Marques.

Para o apóstolo Kelson Abraão, dirigente da Comunidade Reviver, Lázaro hoje é um ícone da cultura da Bahia e do Brasil, de uma cultura eclética, que tem juntado povos e credos, sendo um diferencial pelos lugares que passa. “Eu creio que ele traga uma mensagem que expressa a sua cultura, mas também uma mensagem de paz, de igualdade entre as pessoas, igualdade religiosa e igualdade racial”, diz o Kelson Abraão.

Ingressos
Os ingressos estarão à venda a partir desta sexta-feira (17) nos seguintes postos: Reviver, Sorveteria Jesus de Nazaré, Encontro Gospel, Parada Gospel, Tom Importadora e lojas Jumbinha de Macapá e Santana.
Os 5.000 primeiros ingressos estarão com um preço promocional: os primeiros 2.000 serão vendidos a R$ 10 e os 3.000 seguintes ao preço de R$ 15. Encerrados os ingressos da promoção o valor ficará em R$ 20. Para assistir ao show da área vip, o acesso irá custar R$ 40.

O show “Canto no Meio do Mundo” é uma realização da Comunidade Evangélica Reviver e da Aceap – Associação Comunitária do Amapá, com a parceria da Assembléia de Deus – A Pioneira, da OMEAP – Ordem dos Ministros Evangélicos do Amapá e da Leal Eventos & Montagens. O evento conta com o apoio do Ministério da Cultura. A organização é da empresa Elo Comunicação e Eventos.

Do gabinete da deputada Dalva Figueiredo:

"O mandato da deputada federal Dalva Figueiredo (PT/AP), convida os filiados do Partido dos Trabalhadores, Sociedade Civil Organizada e o público em geral para participar de uma grande Plenária Ampliada para avaliar e receber contribuições para as ações do Mandato no ano de 2009. O evento ocorrerá no Auditório do Sindicato dos Servidores Públicos Federais do Amapá – Sindsep, na Avenida Almirante Barroso nº. 21, bairro central no dia 17 de abril (sexta-feira), a partir das 17h.
Na Câmara Federal a deputada Dalva participa como suplente da Comissão da Agricultura e da Comissão Especial do Estatuto da Igualdade Racial e como titular da Comissão Especial da Exploração das Terras Indígenas.
No ano de 2008 a deputada apresentou 23 emendas ao Orçamento Geral da União para atender diversos setores do Estado do Amapá, totalizando R$ 16, 9 milhões para vários setores, como educação, infra-estrutura na construção da praça do bairro Laurindo Banha, para a pesca, turismo e os projetos de Promoção da Igualdade Racial no Estado, além das duas áreas mais beneficiadas pela parlamentar foram a Saúde e o Instituto de Desenvolvimento Rural do Amapá para estruturação física e compra de equipamentos.
Para este ano de 2009 a deputada Dalva Figueiredo indicou R$ 10 milhões em 19 emendas divididas em 29 projetos e mais quatro emendas aprovadas na Comissão da Amazônia, Integração Nacional e de Desenvolvimento Regional onde a parlamentar participa como titular.
Com a participação da Sociedade Civil Organizada Dalva espera concluir seu mandato ouvindo a sociedade amapaense como no caso das Emendas Participativas, onde a população escolheu como aplicar os recursos."
(Raul Gemaque, Assessor de Comunicação)

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Declaração Universal dos Direitos Humanos

"Todo ser humano tem direito à liberdade de opinião e expressão; este direito inclui a liberdade de, sem interferência, ter opiniões e de procurar, receber e transmitir informações e idéias por quaisquer meios e independentemente de fronteiras."
(Art. XIX da Declaração Universal dos Direitos Humanos)

Político acusado de pedofilia quer calar blogueiro no Pará

Você já pensou que pode chegar o dia de ter que tratar pedófilos com todo o respeito, chamando-os de Vossa Excelência ou anjos e estendendo tapete vermelho para eles passarem?
Pergunto isso porque no Pará o jornalista Juvêncio Arruda, do blog Quinta Emenda, está sendo processado por ter noticiado que o ex-deputado Luiz Afonso Sefer está sendo acusado de pedofilia.
Sefer é acusado de abusar sexualmente de uma garota durante quatro anos. Os abusos começaram quando a menina tinha apenas nove anos de idade. Ela veio do interior para morar na casa dele e sofreu abusos até os 13 anos de idade, quando resolveu denunciar.
Investigado pela CPI da Pedofilia, Sefer renunciou ao mandato de deputado estadual no início do mês.
Juvêncio Arruda vinha fazendo no seu blog a cobertura completa do caso. Digo “vinha fazendo” porque desde segunda-feira está proibido de tocar no assunto. A família de Sefer entrou na justiça contra o blogueiro e a juíza da 3ª Vara Cível da Capital, Teresinha Moura, deferiu liminar mandando retirar do blog os posts e comentários porque foram consideradas desairosas e ofensivas ao ex-deputado palavras e expressões como “monstro”, “perversão sexual”, “hediondo”.
Para o jornalista Val Mutran, do blog “Nos corredores do planalto” a censura vem se alastrando na blogosfera. “O objetivo dos políticos é impedir que todos conheçam seus malfeitos. Por isso tentam censurar a livre opinião dos blogueiros”, diz ele. Acrescentando que “não por outro motivo a discussão sobre o uso de algemas ganhou notória publicidade. Os políticos não se importam em ser presos, o problema é ser fotografado usando algemas. É a vinculação de suas imagens aos correspondentes crimes que querem evitar, a todo custo. Pra poder seguir enganando a população.”

Este blogueira – que foi vítima de perseguição e censura em 2006 por parte de um famoso político legítimo representante do atraso e da ditadura neste país - solidariza-se com Juvêncio Arruda e continua na luta para garantir o direito que todo cidadão tem de manifestar sua opinião e ter acesso à informação.

terça-feira, 14 de abril de 2009

Te vi no Marabaixo (3)

Natalina, filha de Tia Gertrudes, é uma das grandes responsáveis por manter viva a tradição. Hoje, com 77 anos e doente, já não bebe mais gengibirra mas ainda dança. Chega no barracão, beija a imagem e a bandeira da Santíssima Trindade e entra na roda.

Ô gentinha


.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
. Na Duque de Caxias, bairro Santa Rita

"Língua Brasileira" no Festival de Garanhuns

A música "Língua Brasileira", composição de Ademir Pedrosa e Zé Miguel, se classificou no Festival de Garanhuns, em Pernambuco. O grupo - Ademir Pedrosa, Zé Miguel e Augusto Hijo (intérprete) - estará representado o Estado do Amapá no festival nos dias 17, 18, 19 e 20 de abril. Vale lembrar que "Língua Brasileira" conquistou todos os prêmios do 18º FECANI-Festival de Música do Amazonas, o que demonstra ser uma música forte concorrente.

Justiça Federal condena OAB-AP

Tá no Diário do Amapá

A Ordem dos Advogados do Brasil - Secção do Amapá (OAB-AP) foi condenada pela Justiça Federal, por litigância de má-fé, na Ação Civil Pública que moveu com a finalidade de conseguir a nulidade do concurso público para o cargo de procurador do Estado do Amapá e a imediata realização de outro concurso.
O juiz federal que assinou a sentença, Anselmo Gonçalves da Silva, julgou improcedente o pedido e por isso determinou a extinção do processo com resolução do mérito.
Anselmo Gonçalves também condenou a entidade ao pagamento das custas processuais e multa de 1% sobre o valor dado à causa.
O magistrado ainda penalizou a OAB ao pagamento de honorários advocatícios no valor de dois mil reais.
No entendimento de Anselmo, a Ordem dos Advogados do Brasil no Amapá usou de má-fé ao impetrar a Ação Civil Pública, uma vez que fora constatado que a entidade, embora devidamente provocada pela Procuradoria-geral do Estado do Amapá, manteve-se inerte em relação ao concurso de procurador que estava em andamento.
O juiz Anselmo Gonçalves da Silva, em sua fundamentação, chega a dizer o seguinte em relação à inércia da OAB: "Tal sentir é sufragado pelo Ministério Público Federal, que, no parecer da lavra do procurador da república José Cardoso Lopes, concluiu que 'o certame em questão não padece de qualquer mácula capaz de ensejar sua anulação, o qual, inclusive, já foi encerrado, cujos classificados, nomeados e empossados, estão atualmente exercendo suas funções"'.
O concurso público para procurador do Estado do Amapá teve a prova discursiva realizada em junho de 2006 e a prova oral em agosto do mesmo ano. O resultado do certame foi divulgado em 29 de maio de 2007.

Eles brilharam no Glycerão

Leoremir e Bil, com Mané Garrincha, no Glycério Marques. A foto é de quando Garrincha estava se despedindo do futebol. O jogo de despedida de Garrincha aqui em Macapá foi entre São José e Ypiranga. Ele jogou nos dois times - um tempo (45 minutos) em cada.

Perguntar não mata

Vão esperar morrer mais quantos para fazer a sinalização horizontal da avenida Fab?
Semana passada morreram dois.

Para quem não conhece Macapá - A Fab - uma via de mão dupla - é a principal avenida de Macapá. Ali ficam hospitais, escolas, prefeitura, secretarias de governo, Assembléia Legislativa, Câmara de Vereadores, Ministério Público etc. O trânsito é intenso e todos os ônibus passam por lá. Está sem sinalização horizontal desde a campanha política do ano passado quando o Governo do Estado resolveu aplicar um novo asfalto e esqueceu que depois do asfaltamento tem que sinalizar.

Um cantinho do meu roseiral

para colorir e perfumar teu dia, especialmente para Jamili Arrelias que vem todos os dias aqui no blog buscar uma flor

Arca das Letras

MDA entrega 30 bibliotecas rurais para o Amapá

Comunidades rurais de nove municípios do Amapá vão receber 30 bibliotecas do programa Arca das Letras. As ações serão realizadas nesta terça (14), quarta (15) e quinta-feira (16), respectivamente, nos municípios de Macapá, Mazagão e Vitória do Jari. Serão capacitados 60 agentes de leitura, que são moradores das comunidades que ficarão responsáveis pelas bibliotecas e pelo incentivo à leitura. A coordenadora nacional do programa Arca das Letras, Cleide Soares, participará dos eventos.

As bibliotecas atenderão famílias rurais de comunidades ribeirinhas, indígenas, remanescentes quilombolas, reservas extrativistas e assentamentos da reforma agrária dos municípios de Calçoene, Itaubal, Laranjal do Jari, Macapá, Mazagão, Tartarugalzinho, Santana, Serra do Navio e Vitória do Jari.

No Estado do Amapá, o Programa Arca das Letras é desenvolvido em parceria com a OnG NossaCasa de Cultura e Cidadania. Também conta com o apoio do Instituto Chico Mendes e do Incra/AP.

Criado pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário em 2003, o Programa já implantou 6.032 bibliotecas em 1,8 mil municípios do País, totalizando 1,3 milhão de livros. Com isso, mais de 660 mil famílias rurais estão sendo estimuladas à leitura e à troca de conhecimentos.

Homenagem
O Amapá havia recebido somente duas bibliotecas Arca das Letras, implantadas em 2006 nos municípios do Oiapoque e de Santana. Neste, a comunidade rural Ilha de Santana recebeu homenagem do MDA durante a V Feira Nacional da Agricultura Familiar e Reforma Agrária, ocorrida em novembro de 2008 no Rio de Janeiro. O reconhecimento foi concedido a Luciana do Espírito Santo em função do bom desempenho como agente de leitura. Ela também levou para a comunidade o prêmio Machado de Assis, concedido pelo Ministério da Cultura (MinC). Este prêmio selecionou iniciativas de estímulo e fortalecimento à leitura no País.

Acervos especiais
Além das 30 bibliotecas rurais, o programa Arca das Letras fez a doação de acervos especiais para o projeto Barcas das Letras, da OnG NossaCasa de Cultura e Cidadania. O objetivo é incentivar a leitura nas comunidades rurais ribeirinhas que têm pequeno número de famílias (até 100 moradores).

Durante os três dias de atividades do Programa Arca das Letras no Amapá, a OnG NossaCasa entregará 12 Barcas das Letras, cada uma com cerca de 120 livros. Os temas abordam, por exemplo, técnicas de pesca e de preservação do meio ambiente.
(Sílvia Sousa, da Assessoria de Comunicação Ministério do Desenvolvimento Agrário)

Resultado da enquete - Algema neles

Quem fabricasse, em vez de ovos, algemas de chocolate poderia ter ganho um bom dinheiro nesta Páscoa.
Cinqüenta por cento dos internautas que participaram da enquete (veja aí no lado direito) disseram que os políticos eleitos por eles mereciam ganhar no Domingo de Páscoa um chocolate em forma de algema. Dezoito por cento dariam um chocolate com o formato de um presídio. Isso quer dizer que a grande maioria (68%) tem certeza que os caras se elegeram só pra roubar.
Dezessete por cento estão satisfeitos com seus representantes, pois dariam as eles anjinhos e coelhinhos de chocolate.


Amanhã teremos nova enquete.

segunda-feira, 13 de abril de 2009

O novo secretariado de Nogueira

O prefeito de Santana, Antonio Nogueira (PT), anunciou hoje seu novo secretariado. Quatro foram indicados por partidos políticos que fizeram parte da coligação que reelegeu Nogueira, outros foram escolha pessoal do prefeito e alguns do mandato anterior foram mantidos.
Confira o novo secretariado:
Secretaria Governamental de Articulação Institucional (SEMGOV) - Odair José Barbosa Freitas, professor de História e advogado.

Secretaria de Administração (SEMAD) - Clélia Jeane Reis Gondim, pedagoga e advogada.

Secretaria de Saúde (SEMSA) - Regina Telma Costa Martins, terapeuta ocupacional especialista em saúde do trabalhador.

Secretaria Municipal de Fazenda (SEMFA) - Joana Tork de Oliveira, formada em ciências contábeis e letras, pós-graduada em auditoria e gestão ambiental.

Secretaria Municipal de Educação (SEME) - Raimundo Vasques, pedagogo, especialista em supervisão escolar e gestão educacional.

Secretaria de Agricultura Abastecimento e Pesca (SEMAP) - Luis Ney da Silva Banha, acadêmico de administração e economia, foi diretor do departamento de comércio, chefe de gabinete da SEICOM, secretário de governo da Casa Civil e diretor administrativo da EMTU. Foi vereador em Macapá.

Secretaria de Meio Ambiente e Turismo (SEMAT) - Andrea Giovana Pereira Marques, graduada em Licenciatura Plena em Letras.

Secretaria de Infraestrutura (SEMINF) - Almir Nogueira

Secretaria de Desporto Cultura e Lazer (SEMCDEL) - Ruberney Monte, acadêmico de História.

Secretaria de Planejamento (SEMPLA) - Kleber Nascimento Rocha, pedagogo.

Secretaria de Desenvolvimento Urbano (SEMDUR) - Dinelma Reis, economista.

Secretaria de Trabalho e Ação Social (SEMTAS) - Marcivânia Flexa, professora e acadêmica de direito.

Procuradoria Geral (PROG) - Rivaldo Freires Valente, advogado.

Superintendência de Transporte e Trânsito (STTRANS) - Rômulo Vasconcelos, geógrafo e pedagogo.

Ouvidoria Geral - Manoel de Jesus Abacate Xavier, técnico em contabilidade.

Santana Previdência (SANPREV) - Bernardino dos Santos, geógrafo, pós-graduado em gestão pública.

Companhia Docas de Santana - José Adeilton Barbosa Leite, engenheiro eletricista.

Te vi no Marabaixo (2)

Marli Costa. Ela toca caixa, tira ladrão e dança

Marabaixo da Favela (1)

Imagem da Santíssima Trindade. O pedestal é enfeitado com um terço cor-de-rosa
e fitas coloridas dos promesseiros

Antes da gengibirra, do rufar dos tambores e da dança o festeiro faz uma oração à Santíssima Trindade pedindo proteção para todos que participam do Marabaixo. Após isso todos juntos rezam o Pai Nosso e a Ave Maria. Ouve-se o som das caixas e diante da imagem são cantados os primeiros versos, assim: “Santíssima Trindade venho te louvar/ dá-me a Tua proteção/ na hora que eu precisar.”
Agora sim, a foguetaria anuncia que o marabaixo está começando, dançadeiras, tiradores de ladrões e tocadores de caixa vão para o meio do salão e começam a tocar, dançar e cantar. E todo mundo entra na roda numa festa que só acaba quando é servida a última dose dos cem litros de gengibirra.
Foi assim sábado na abertura do Ciclo do Marabaixo, no bairro da Favela.

domingo, 12 de abril de 2009

Te vi no Marabaixo (1)

Essa garotinha linda e sorridente 'e Ana Olinda. Ela só tem onze anos de idade mas já tira ladrão (canta) feito gente grande

Feliz Páscoa!


sábado, 11 de abril de 2009

Começa hoje o Marabaixo da Favela

"Quem tem roupa vai a missa lê lê
quem não tem faz como eu lê lê
Rosa branca açucena lê lê
case com a moça morena lê, lê"

O rufar dos tambores vai ecoar hoje por todo o bairro da Favela, a partir das 15h, com o Marabaixo da Aceitação que dá início ao Ciclo do Marabaixo da Santíssima Trindade.

É dia de soltar foguetes, beber gengibirra, tirar ladrões e dançar até altas horas. As mulheres de saia florida, blusa branca e toalhinha no ombro para enxugar o suor e os homens de calças e camisas brancas e sandália de couro. Mas vale também bermuda e camisa de qualquer cor.

As mulheres dançam em círculo, arrastando os pés. A coreografia lembra o andar dos escravos de pés acorrentados. Os homens tocam caixa (tambor) e tiram os ladrões, isto é, cantam, e as mulheres fazem o coro. Aliás, hoje as mulheres também já batem caixa e puxam ladrões, como Maria José Libório, a Zezé, 69 anos, filha de Tia Gertudres – um ícone do Marabaixo.

Mas de onde vem esta que é a maior e mais importante expressão cultural do Amapá? Da África, claro. Historiadores e pesquisadores contam que nos navios que traziam os escravos para cá, os negros puxavam um canto que era como um lamento. “O ladrão lembra o lamento firme e vivaz de negros que cultivavam a esperança de voltar para o continente africano”, diz o pesquisador Rostan Martins. “Um participante líder e com habilidades de versar sobre assuntos do dia-a-dia, tira o Ladrão de improviso, como que roubando a “deixa” de outro participante que vai completando na improvisação”, explica.

O ciclo, que começa hoje, só termina no dia 14 de junho, com a derrubada do mastro e a entrega da bandeira da Santíssima Trindade para o festeiro do próximo ano. Nesse período tem o Marabaixo da Integração, o Marabaixo em homenagem ao trabalhador, Domingo do Mastro, Domingo da Murta, Missa, novenas, almoço dos inocentes e Corpus Christi. E haja gengibirra – uma bebida feita com cachaça, gengibre e açúcar.

Este ano na Favela a festeira é Marinete Silva da Costa, neta de Tia Gertrudres. É na casa do festeiro que acontece todo o ciclo do marabaixo. E a casa de Marinete fica na avenida Duque de Caxias, 1203.

Programação

11/04 – Marabaixo da Aceitação, a partir das 15h
21/04 – Marabaixo da Integração
01/05 – Marabaixo e Batuque – Os tambores rufam em homenagem ao trabalhador.


10/05 – Domingo do Mastro – Neste dia, de manhã cedinho as pessoas vão buscar na mata um mastro que no final do mês será enfeitado com murta. Da mata até a casa do festeiro, o povo vem cantando, dançando e soltando foguetes. Por volta das 9h chega-se a casa do festeiro e o marabaixo continua o dia inteiro e vara a noite. Como a festa é longa, de vez em quando é servido um caldo feito de carne bovina e muitas verduras e legumes. Para manter a animação não pode faltar a gengibirra.


31/05 – Domingo da Murta – É quando o povo vai quebrar (apanhar, colher) a murta (uma tipo de ramagem) que enfeitará o mastro. Como no domingo do Mastro, o povo vem com a murta até a casa do festeiro dançando, cantando e soltando foguetes. Lá chegando – o que geralmente se dá por volta das 15h – enfeita e levanta o mastro e dança até a manhã de segunda-feira.


07/06 – Às 7h30 Missa seguida de café da manhã. Às 12 horas é servido um almoço para as crianças. É o “Almoço dos Inocentes”.
11/06 – Marabaixo de Corpus Christi


14/06Encerramento do Ciclo. O encerramento se dá com derrubada do mastro, que tem que ser feita antes das 18h. Derrubado o mastro, é tirada do topo dele a bandeira da Santíssima Trindade e entregue ao festeiro do próximo ano. Tocando caixa, cantando, bebendo gengibirra e soltando foguetes o povo acompanha o próximo festeiro até sua casa, onde a bandeira ficará guardada em lugar especial até o próximo ciclo.

E amanhã tem Marabaixo no Laguinho

No bairro do Laguinho, que festeja o Divino Espírito Santo e a Santíssima Trindade, o ciclo do Marabaixo começa amanhã, domingo. E o blog Repiquete conta como vai ser. Vai lá.

quinta-feira, 9 de abril de 2009

"Eu vou fazer...

uma canção de amor para gravar num disco voador

Minha paixão há de brilhar na noite
no céu de uma cidade do interior..."
(Caetano Veloso)